segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Um jogo sem juiz

Tudo bem, eu admito que sou um dos caras menos recomendados para falar de futebol que conheço. Não tenho time, não assisto jogo e ainda acho que esporte faz mal pra saúde. Mesmo assim eu não resisti à vontade de comentar sobre uma matéria que vi no jornal Domingo Espetacular na Rede Record.

Na verdade, estou pouco me importando se seleção vai pra copa ou se ganha jogo. Menos ainda se os jogos dos campeonatos nacionais não estão puxando público para os estádios ou mesmo para assistir pela TV. O que mais me chamou atenção na matéria foi as falas dos populares entrevistados nas ruas. Normalmente são pessoas indo e vindo do trabalho ou, com grande chance, desempregados. E foi incrível como nenhum deles fez outro tipo de crítica se não aos jogadores, colocando toda a culpa na falta de “amor à camisa” ou por considerarem que o único interesse dos jogadores é no dinheiro.

Discordo e não vejo nenhum sentido em como os passes dos jogadores podem valer tanta grana, achei super curioso como os torcedores condenam o anseio dos atletas por uma vida e salários melhores. O tal “amor à camisa” seria jogar sem saber se vai receber no fim do mês ou ficar em um time falido no Brasil quando poderia jogar fora com muito mais garantias? Quais desses torcedores/trabalhadores ficariam em uma empresa nessas condições? Sim, futebol é negócio. Alguma vez já não foi? Duvido muito que em algum tempo as coisas tenham sido diferentes. Mas ainda se percebe uma nostalgia de quando se jogava o “futebol raça”. Não seria apenas um mundo menos globalizado?

Mesmo a matéria dedicando um tempo considerável para explicar os esquemas de corrupção nos clubes não foi mostrada nenhuma manifestação dos populares sobre o assunto. Houve apenas algumas considerações de um comentarista esportivo abordando a questão, mas até ele frisou a culpa dos jogadores.

Fica escancarada a falta de noção e sentimento de unidade entre os trabalhadores, seja operário, taxista, jornalista ou jogadores de futebol. E há uma condenação quase no esquema católico-medieval sobre a cobiça(?) dos atletas. Nem é tão difícil perceber que a culpa é dos administradores dos times e da especulação surreal no mercado de jogadores. Não é mais amor à camisa que vai resolver os problemas. Precisa-se moralizar as negociações dos clubes e fiscalizar radicalmente os sistemas contábeis dos mesmos. Por que torcedores não vão reivindicar esses pontos frente aos dirigentes de seus clubes ao invés de encher saco dos funcionários-jogadores?

Nesse jogo sem juiz, será que o futebol brasileiro vai continuar com suas jogadas fora da Lei?

O vídeo você pode ver AQUI. Parece que vai ser uma série de reportagens, para quem gosta vale acompanhar.

20 comentários:

Milton BitMóvel disse...

Pois é... é muito comum fazer esses comentários sobre os jogadores.
Eu acho que a seleção Brasileira só está numa fase ruim... apesar que há jogos que acho que eles poderiam dar mais de sí, sim.
Ótimo texto... e porque esporte faria mal a saúde? :o

Maria Duda :) disse...

É a velha questão de que todo brasileiro é meio patrão do outro, todos eles querem que o companheiro da profissçao ao lado seja tão bom quanto ele seria na profissão do mesmo, não que ele realmente seria melhor, mas é que na cabeça da gente tudo funciona mais fácil.
Dai parece que só nós temos contas para pagar, família para sustentar, vontade de viver melhor, parece que o outro precisa dar o sangue sem ganhar algo em troca, no caso dessas profissões mais visadas é ainda pior.
Não gosto de futebol, mas acho que quem gosta deveria pelo menos se informar melhor, porque os times não vivem só de amor pela camisa, muito menos os jogadores.
Bom texto, ;D

Ulisses disse...

O problema é que os brasileiros (os quais não tem muitas alternativas para distração, ou tem e não usufruem) acham que o nosso futebol (já escancarado como o "melhor do mundo"(?)) tem que ser melhor que o rival sempre e ponto final.

Não sabemos respeitar que (com crise ou sem crise) perdemos para pessoas mais preparadas (salve salve Argentina).

O passe, a grana, a regalia e as "muitas mulheres" do jogador fazem parte da sua vida particular, diretamente vinculados ao futebol que apresenta. Ninguém vai pagar caro por quebra-perna como eu, vai?

Mandou bem Társis, pois para se ter respostas ao suposto "fracasso" do futebol brasileiro, deve-se bater à porta dos Cartolas vigaristas de muitos clubes.

Abraços
Ulisses

Rayanna disse...

Tentar encarar os dirigentes de frente, muitos tentam. Mas na verdade existe muita gente grande no comando e MUITO mais ambiciosa do que os próprios jogadores. Ou seja, diante desse povo, a opinião dos torcedores torna-se merda.
Pouca gente sabe, mas o treinador da seleção brasileira serve de capacho e boneco pra esses 'grandões'. Na verdade são eles que comandam tudo, decidem quem sai e quem fica em cada jogo, e vendem os nossos jogadores por preços absurdos pro exterior. Dizem que é para a manutenção dos clubes, mas eles nem disfarçam a ganância que existe por trás desse comércio milionário que virou o futebol.

Gostei, Tatau. :)

Flavinha disse...

Futebol faz mal a saúde? :o

Saulo disse...

esporte faz mal a saúde?

Kamilla disse...

Torcer pro Corinthians faz bem a saúde!
Enfim...
Pq logo quando termina o campeonato só pq ele se destacou um pouquinho já solta que só fica no time se receber aumento? logo ele que falou que essa era sua casa? falsidade da porra quando beija o brasão do time e quando sai da casa, mete a língua em todo mundo ¬¬
Repara agora que quem ganha mais são os mais feios, e ainda tem mulher atras. hahaha
Deveria ter um salário estipulado pra jogador, isso sim ¬¬
E futebol faz bem a saúde, viu?!

Társis Valentim disse...

com a reverberação do assunto, acredito que terei que escrever um pequeno post sobre essa história de esporte fazer mal.

mas tenho dados (será que tenho mesmo?) pra comprovar essa minha opinião.

hahaha

Gil Lannes disse...

nao pago 30 conto pra ver 22 homens correndo atraz de uma bola

u.u

NUM PAGO O CARALHO !!!
FOOOOGOOOO !

Saulo Barreto disse...

Verdade... para que os jogadores iriam se matar pela uma seleção que quando ganhar é a melhor do mundo, e quando perde só pense em dinheiro? Jogando pela seleção correm o risco de sofrer contusões, a única bandeira que o jogadores defedem é a do dinheiro e de sua própria imagem, já que são propagandas ambulantes!
Jogar fora do país além de ganhar mais dinheiro, o reconhecimento é maior, lá sim são ídolos! Mais sou fanático por futebol... mesmo não tirando a razão dos jogadores é ruim vê o Brasil perder!

Vinicius disse...

A questão é que os jogadores não estão jogando mais com vontade, só jogam, sabem que vão ganhar o seu dinheiro no final do mês, a um grande esquema de corrupção nos times de futebol, nas confederações, e nos juízes, afinal, estamos no Brasil. Mais isso afeta muito pouco nos jogadores, eles recebem do mesmo jeito ! Essas questões desmotivam o torcedor a ir torcer, assim, não contribuindo para o time, nem para confederações. Um bom exemplo é meu time, o Vasco, ta numa crise da porra, por causa de corrupção e falta de motivação de jogadores, Mais volto a dizer, os menos prejudicados são os jogadores, se um cara botar a camisa da seleção o passe dele vai pras alturas, é como uma grande bolsa de valores, de acordo com as coletivas, notícias, e argumentos do governo ou investidores, as taxas caem ou sobem. Resumindo, são grandes empresas que só visam lucros por parte indivídual de seus componentes, capitalismo nu e cru pra quem quiser.

Lais disse...

ei tatau!! muito bom o teuu blog!!
adoro essas opiniões "társis"! haahhahaha
ta, esporte não faz mal. desde que feito regularmente e com rítmo.
beijãooo

Lai

Kamilla disse...

eu só pago pra ver o meu time jogar
o resto não pago não
hsiAUHSIAuhsaUISHA
\o/
futebol é legal, tinha esse mesmo pensamento seu antes de começar a gostar... com o tempo muda ;x ou não!

paulo victor disse...

Precisa-se moralizar as negociações dos clubes e fiscalizar radicalmente os sistemas contábeis dos mesmos., soa feito música! =P
---
Dia desses, almoçando enquanto assistia ao Glogo Esporte — dois fatores para ter desligado a TV ou não? —, ouvi uma reportagem sobre o passe de Robinho para um time inglês, o mesmo onde Felipão está ou não (outro inapto comentarista, Társis), falando de uma quantia exorbitante, cifra milionária. Isso é um isulto a quem estuda, disse mãe, outra inapta comentarista. Somos muitos, entre populares desempregados e pequenos burgueses (também os proletários de hábitos burgueses).
Futebol, hoje, é arte de ganhar muito. Negócio sempre foi, é bem verdade.Podemos falar em dificuldade de expressão. Quando falam sobre ausência do "amor pela canarinha", queixam-se da pouca alegria no tempo presente: no país onde falta muito de muita coisa, está em falta também o futebol-espetáculo. O acostumável Panis et Circenses.

"Pobre do país que só tem sangue e bundas nos jornais." (Malvadinho)

Fabrício Persan disse...

Figuuuuuuuuuura !! ótimo te encontrar aki !! hehe

até que enfim alguém que pensa como eu !! =D
aki está outra pessoa que está totalmente a parte do futebol e naum faz nenhum pouco de questão em estar inteirado.
se tem um coisa que eu realmente não entendo, é pq esse negócio é tão caro... talvés seja pela grama e pela bola...

passarei aki sempre. abçOO simpatia.

Luan Eliseu disse...

No Coments...

muAhUAHuahUAh

Jarbas disse...

ave, somos dois então que não suporta futebol... eu té digo: "fluminense" quando me pergunta para que time eu torço, só por causa de meu pai mesmo... [risos]
mas uma coisa eu devo admitir, queria ter o salário que ronaldo têm [suspiro]

Anônimo disse...

Gostei do seu blog e principalmente desse artigo dobre futebol.
Parabéns!!!
Voltarei + vzs...

Ellen Lapa disse...

Acho q foi sempre uma questão de dinheiro, só não costumava ser tão explicito. Perdoem-me os romanticos, mas "amor a camisa" não paga conta...

Társis Valentim disse...

o link para o vídeo no post bugou. como estou arrumando ainda o template to deixando pra lá fazer essa correção.

mas pra quem se interessar ta aqui agora:

http://www.mundorecord.com.br/play/69ad34db-03e5-49e2-879f-1296509e09a5