segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

Pra onde vai o dinheiro que o Estado recolhe de seus cidadãos? Onde é investido toda a cifra dos cofres públicos? Sabemos que qualquer governo tem de empregar recursos para a segurança, saúde, educação, lazer do seu povo bem como com sua própria manutenção. Mas não estariam em grande desequilíbrio os montantes gastos com cada uma dessas necessidades?

A questão da segurança nos centros urbanos acredito ser a maior preocupação dos governos seja estadual, seja o federal uma vez que esta é a maior preocupação da população e principalmente da classe media, aquela que nem tem dinheiro suficiente para pagar segurança particular e nem está em riscos tão insuportáveis de sobrevivência para acabarem apelando para a marginalidade. Tenta-se fazer a média com a classe média.

O Brasil gasta com a questão da violência cerca de U$ 84 Bilhões pro ano investimento necessário se consideramos que no Brasil nos últimos dez anos matou-se mais que guerras como a de Kosovo e do Timor Leste. Porém é de causar um certa angustia quando sabemos que com a educação ou saúde, por exemplo, são gastos menos que R$0,40 por dia. Entretanto o que é com certeza mais revoltante é saber que as despesas diárias de um senador gira em torno de R$ 71.000 por dia (isso mesmo SETENTA E UM MIL REAIS POR DIA!).

Logo nos resta, nós povo, rir, chorar ou parar pra pensar e tentar fazer alguma coisa, nem que seja divulgar tais informações.

Certamente investindo mais em educação creio que em médio prazo não teria a necessidade de tantos gastos contra a violência. Talvez se o estado se preocupasse da maneira correta em relação ao combate a violência, gerada em sua maioria pela guerra do tráfico, tratando a matéria das drogas como questão de saúde pública e não de segurança, as coisas poderiam ficar melhores. e se pensarmos que se o povo exercesse sua cidadania de maneira ativa, cobrando da maneira correta dos governantes e também realizando algum trabalho para sua comunidade por certo poderíamos rir, mas não o sorriso irônico e sim aquele dos que vivem em uma “feliz cidade”.

3 comentários:

Abstrato disse...

"Onde está o dinheiro?
(O gato comeu!)
E ninguém viu??
(o gato fugiu...)
(Pega!!)
Atirei o pau no gato-to,
Mas o gato-to não morreu-reu-reu
Dona chica-cá admirou-se-se
Com o bêrro, com o bêrro que o gato deu!
(miaaaau)"
En La Casa, GABRIEL O PENSADOR
***
O tema desta redação foi de qual vestibular?

Társis Valentim disse...

alguém poderia me dar dica de como escrever dissertação sem cair no esquema “tabela redação vestibular”? adoraria receber e-mail com dicas e tal.

Tahi disse...

uihauiahuiahuihuihauiahuia...isso oh....pow ae oh...dessa vez eu tou orgulhosa...esse texto tah realmente bom...vc nem tentou convencer todo mundo de sre um anti-capitalismo...isso...oh dissertação jah eh a cara do vestibular...uiahuiahuiahuiahui....n tem jeito...mas frases q usem um pouco de ironia...e as vezes um pouco de primeira pessoa ajudama fugir desse eskeminha basico...desculpa n ter comentado ontem tah? eh q o texto tava grande e eu sem paciencia...mas oh...valeu a pena..tou orgulhosa viu?!! uhaihauiuia...a melhor parte foi falar da classe media...afinal eh kem move o país...e melhor...naum caiu nakele velho discurso maçante de "salve o proletariado!"
=D dessa vez deu gosto de comentar visse...e olhe q nem precisa ficar no circulo fechado e radical de revistas e jornais esquerdistas nem sites anarco-punks...hehehhehe...brincando oh
beijaum